Compartilhar share

Colegiado de Saúde da AMPLASC avalia estudo sobre impacto financeiro no custeio da saúde nos municípios

Publicado em 09/09/2021 às 00:46 - Atualizado em 09/09/2021 às 00:46

Foi apresentando na tarde desta quarta-feira (08) aos integrantes do Colegiado de Saúde da AMPLASC uma analise da questão financeira do teto da atenção básica de Média e Alta Complexidade de cada município da região.

O estudo elaborado pelo especialista em gestão pública, o administrador Adriano Carlos Ribeiro, tomou como base os planejamentos orçamentários anteriores dos municípios e dados do Ministério da Saúde.

O diagnóstico aponta que os sete municípios que compõe a AMPLASC, mais de 85% dos recursos empregados na saúde são provenientes do Governo Federal e o cofinanciamento do Governo do Estado é baixa sobrecarregando os orçamentos dos municípios.

Ainda ficou constatado há necessidade de uma nova pactuação dos serviços de saúde na Comissão Intergestores Regional- CIR/Meio Oeste para algumas especialidades. Neste sentido, o Hospital Dr. José Athanásio teria condições técnicas de absorver os atendimentos conforme seu vocacionamento de saúde regional.

Com relação às finanças dos municípios, houve orientação para participação dos gestores de saúde na peça Orçamentária  Municipal de cada ano para que haja alocação de recursos mais eficientes na saúde, tendo em vista que a maioria dos municípios tem abarcado com custos, muito além do atendimento básico, que é de sua responsabilidade.

O estudo aponta ainda que a falta de atualização do Censo do IBGE impacta no repasse de valores. “Todos os coeficientes de repasses estão sob IBGE 2019, na verdade mais de 30% a 40% da população estimada de cada cidade estão sendo atendidos com recursos próprios dos municípios. Então isso precisa ser revolvido, por que impacta na média e alta complexidade."

A reunião do Colegiado de Saúde foi acompanhado pelo Secretário Executivo da AMPLASC, Luciano Angonese, o qual sugeriu no próximo encontro tenha a participação dos contadores públicos para alinhar a LOA em cada município. Também esteve presente, o diretor do Hospital Dr. José Athanásio de Campos Novos, Vinícius Serena, que comunga com  estudo de Adriano da necessidade de fortalecer a unidade hospitalar, com vistas aos atendimento de alta complexidade específica.

Fonte: Assessoria de Comunicação da AMPLASC